* 2017/2018: Plano de Formação - 1ª Fase

Ação 22: 2017/2018: Plataformas on-line para apoio à prática letiva

Publicado a 26/10/2017, 07:38 por Geral - Centro de Formação MbM


Curso de Formação: 25HP, 1 UC
Registo de Acreditação: 
CCPFC/ACC-91900/17
Formadora:  Isabel Vaz
Local: Escola Básica 2,3 Delfim Santos
Grupos de recrutamento: Educadores de Infância, Ensino Básico e Ensino Secundário
Calendário: 
20 de novembro de 2017 a 14 de dezembro de 2017 

                                                                       

Descrição


Esta ação de formação tem por objetivo colocar os professores perante situações que possam contribuir para a atualização das suas práticas profissionais no 
âmbito da sociedade de informação.

O professor, como mediador e facilitador da comunicação num ensino centrado no aluno, deverá dominar tecnicamente e aplicar de forma pedagogicamente 
correta os recursos que as Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) colocam à sua disposição, uma nova forma de encarar e utilizar a Internet, 
nomeadamente a WWW, privilegiando a interação e a produção de conteúdos em detrimento do seu consumo passivo.

A plataforma open-source Moodle tem uma larga utilização em todos os ciclos de ensino, em contexto de e-learning, dual-mode, mixed-mode, mas também de
ensino presencial. O conjunto de ferramentas, actividades e recursos que disponibiliza aos seus utilizadores, permite a dinamização de espaços virtuais de 
aprendizagem, promovendo a interação e a partilha de conteúdos a qualquer momento e em qualquer lugar. Do ponto de vista dos docentes/ formadores, importa
conhecer as funcionalidades disponíveis e tirar o melhor proveito das mesmas para disponibilizar ou enriquecer um ambiente de ensino/ aprendizagem.



Seleção de formandos

  • 1.ª prioridade: Docentes das escolas associadas ao CFAEMBM.

Detalhes da calendarização

 

                           novembro: 20(segunda feira) 17h00 - 20h00; 23(quinta feira) 17h00 - 20h00;  27(segunda feira) 17h00 - 20h00; 30(quinta feira) 17h00 - 20h00;


                           dezembro: 04(segunda feira) 17h00 - 20h00; 07(quinta feira) 17h00 - 20h00; 11(segunda feira) 17h00 - 20h00; 14(quinta feira) 16h00 - 20h00.

Ação 33: 2017/18: Gestão de Conflitos em Contexto Escolar: Estratégias de Prevenção de Comportamentos Desajustados

Publicado a 11/09/2017, 08:39 por Bruno Henriques   [ atualizado a 18/09/2017, 08:20 ]

Curso de Formação: 25HP, 1 UC
Registo de Acreditação: 
CCPFC/ACC-92027/17
Formadora: Carina Lobato Faria
Local: Agrupamento de Escolas de Benfica
Grupos de recrutamento: Ensino Básico e Ensino Secundário
Calendário: 
23 de novembro de 2017 a 25 de janeiro de 2018

                                                                       

Descrição

Conflitos são uma construção social inerente à própria condição humana. Não são, por sua natureza, nem positivos, nem negativos, constituindo-se como um facto incontornável
da vida em sociedade (Ceccon, 2009). 
A forma como são encarados, enfrentados e geridos, é o elemento diferenciador, para que o mesmo onflito seja ou não promotor de desenvolvimento humano. Quando bem geridos, os conflitos podem na realidade conduzir a situações de intensa criatividade e aprendizagem. Quando ignorados ou mal
administrados, é muito provável que se revistam de consequências não desejadas. 

Frequentemente associamos o conceito violência ao contexto de conflitos, no entanto, o comportamento violento é apenas umas das possíveis consequências da inabilidade em
gerir situações de conflitos interpessoais. Compreender este facto é uma questão crucial e central para todos os cuidadores, afectivos ou intelectuais, cujo interesse no
desenvolvimento humano seja uma realidade.  

Dados retirados do relatório elaborado pelo Conselho Nacional de Educação – Estado da Educação 2015 – é possível observar indicadores preocupantes de perceção de falta
de segurança escolar e existência de elevados níveis de agressividade entre a comunidade de alunos na idade da pré-adolescência e adolescência.
De acordo com o mesmo documento, dos países pertencente à OCDE que participaram no estudo HBSC - Health Behaviour in Schoolaged Children, que resulta  da  colaboração  
entre investigadores  internacionais  e  pretende  estudar  os estilos de vida dos adolescentes em idade escolar, tendo em  conta  indicadores  de  saúde,  de  educação,  sociais  
e familiares (Inchley et al., 2016) – para o ano de 2013/2014 Portugal apresentou uma das percentagens mais elevadas de raparigas com 15 anos que referiam terem sido vítimas
de bullying na escola, pelo menos duas ou três vezes por mês nos últimos dois meses. No caso dos rapazes com 15 anos, essa percentagem foi a mais elevada a par da Áustria. 

Certamente que poderemos considerar que o posicionamento destes jovens face à realidade que percecionam não deixa de ser apenas uma perceção pessoal e individual, e
que poderá não corresponder exactamente à realidade mensurável. No entanto, o sentimento é para eles um facto, e um facto que reduz consideravelmente os seus níveis de
saúde mental, e por consequência a sua disponibilidade para a aprendizagem. E este facto é tao significativo, que de acordo com específicos (Brancalhone, Fogo & Willians, 2004; Lipp, 2004; Lipp & Novaes, 2000; Sbaraini & Schermann, 2008) o prejuízo na capacidade de aprender, anteriormente atribuído apenas a deficits cognitivos, tem sido associado,
nos últimos anos, cada vez mais sistemática e significativamente, à exposição a eventos desencadeaores de stress.  

Sendo períodos por natureza mais complexos do ponto de vista relacional e de regulação comportamental, e tendo por base que a construção psicológica da disciplina da regulação comportamental, não é um processo inato, implicando um trabalho ativo de todos os cuidadores que lidam direta ou indirectamente com as crianças; a proposta da presente formação é promover um espaço de reflexão sobre os processos inerente à construção das competências neurodinâmicas da regulação do comportamento, bem como de construção de algumas estratégias de prevenção e ação sobre os comportamentos desajustados, produto dos conflitos naturais inerentes às relações interpessoais. Visando a diminuição dos problemas inerentes aos conflitos em contexto escolar, e por consequência disso a diminuição dos índices de comportamentos violentos, em todas as suas manifestações, é, de acordo com Giddens (1994), absolutamente necessário desenvolver uma educação para a gestão positiva dos conflito, de modo a educar no sentido de uma cultura de paz e cidadania ativa, contribuindo para o desenvolvimento do papel da escola com uma “politica da vida”.



Seleção de formandos:                  ;

  • 1.ª prioridade: Docentes das escolas associadas ao CFAEMBM.

Detalhes da calendarização



                           novembro: 23(quinta feira) 17h00 - 19h30; 28(terça feira) 17h00 - 19h30; 30(quinta feira) 17h00 - 19h30;

                           dezembro: 05(terça feira) 17h00 - 19h30; 14(quinta feira) 17h00 - 19h30; 

                           janeiro:       11(quinta feira) 17h00 - 19h30; 18(quinta feira) 17h00 - 20h00; 25(quinta feira) 17h00 - 20h00.                                                                                                                   



                                                                                                                                     

Ação 32: 2017/18 - Português: Iniciação à leitura e à escrita do 1º ciclo

Publicado a 25/07/2017, 03:52 por Bruno Henriques   [ atualizado a 03/10/2017, 07:59 ]


Curso de Formação: 15HP, 0.6 UC
Registo de Acreditação: 
CCPFC/ACC-92145/17
Formador: Maria Fátima Silva 
Local: Escola Básica Prista Monteiro
Endereço: R. Prista Monteiro 1, 1600-485 Lisboa
Grupos de recrutamento: 110
Calendário: 
10 de outubro de 2017 a 21 de novembro de 2017 

                                                                       

Descrição

Esta ação preconiza a melhoria das condições de ensino e aprendizagem do Português e a valorização das competências dos professores nesta área. O Programa e restantes documentos orientadores introduzem desafios que pressupõem o reequacionamento das práticas à luz da investigação mais recente. O contexto social e cultural onde se inserem muitos dos nossos alunos, à entrada no ensino formal, não lhes permite uma harmonização de aquisições no desenvolvimento da linguagem facilitadoras das emergências da linguagem verbal para que possam lidar de forma harmoniosa com o processo de codificação e descodificação da mesma.Tal como se preconiza no programa de Português para o 1º Ciclo, os alunos que ingressam no ensino formal caracterizam‐se por uma grande diversidade no que respeita tanto à compreensão quanto à expressão oral pelo que é essencial aprofundar o conhecimento e o domínio da linguagem oral quer na capacidade de compreensão do oral quer na capacidade de expressão oral, nas dimensões da compreensão e da produção, com progressiva autonomia.

Nos primeiros anos do Ensino Básico, assume uma grande importância a ligação entre a Oralidade e o ensino dos conteúdos do domínio da Leitura e Escrita. A linguagem escrita é uma representação da linguagem oral; o sistema de escrita que utilizamos representa uma estrutura da fonologia da língua, que são os fonemas. Como explicita José Morais (2013), «para aprender o sistema alfabético, as crianças aos 5, 6 anos são levadas a refletir sobre a estrutura fonológica da língua e tomam consciência, juntamente com a aprendizagem das letras, da existência de unidades fonológicas. é uma das primeiras realidades do ensino do Português no 1.º Ciclo: o desenvolvimento da consciência fonológica e da consciência ortográfica. Leitura e Escrita constituem um só domínio no 1.º Ciclo. Sendo funções distintas, elas apoiam‐se em capacidades que lhes são em grande medida comuns. Tem sido esta a opção consistente de José Morais (2013), aliás confirmada por estudos como os conduzidos, no nosso país, por João Lopes et alii.


Seleção de formandos:

  • 1.ª prioridade: Docentes do Agrupamento de Escolas Vergílio Ferreira;
  • 2.ª prioridade: Docentes das escolas associadas ao CFAEMBM.

Detalhes da calendarização

                       
                                  outubro:   10(terça feira) 17h00 - 19h00; 17(terça feira) 17h00 - 19h00; 24(terça feira) 17h00 - 19h00                                  
                                                              
                                                              31(terça feira) 17h00 - 19h00;

                                      novembro:   07(terça feira) 17h00 - 19h00; 14(terça feira) 17h00 - 19h00 e  21(terça feira)17h00 - 20h00.                                                                                      



                                                                                                                                     

Ação 23: 2017/18 - Supervisão em contexto de conselho de turma

Publicado a 25/07/2017, 03:50 por Bruno Henriques   [ atualizado a 03/11/2017, 04:16 por Inacia Oliveira ]

Curso de Formação: 25HP, 1 UC
Registo de Acreditação: 
CCPFC/ACC-91209/17
Formadora: Graça Trindade
Local: Escola Profissional Agrícola D. Dinis - Paiã
Grupos de recrutamento: Ensino Básico e Ensino Secundário
Calendário: 
25 de novembro de 2017 a 03 de fevereiro de 2018

                                                                       

Descrição

Face ao levantamento de necessidades efetuado junto das escolas associadas deste Centro de formação, sinalizou-se a pertinência de integrar no plano de formação ações que sensibilizem os docentes para a necessidade de programar e desenvolver modelos de supervisão nas estruturas intermédias de modo a regular e avaliar processos científicos e didáticos implementados, atendendo aos objetivos e metas organizacionais.

i) A supervisão, por parte de quem preside ao conselho de turma, surge como ação estratégica conducente à implementação de um modelo de regulação de processos e de resultados indispensável ao exercício do cargo de diretor de turma. 

ii) Como sabemos, o desempenho das funções de diretor de turma “obriga” (por decreto) à preparação, implementação e avaliação de ações reflexivas, contextualizadas e reguladoras de práticas docentes, ao nível do conselho de turma. Deste modo, surge como um imperativo a necessidade de encontrar formas de mapeamento/reinvenção e reescrita conjunta do currículo, aferição de competências a desenvolver transversalmente, programação e avaliação de atividades intra, inter e multidisciplinares (em sede de conselho de turma) em convergência com os documentos estruturantes e orientadores da ação educativa – PEE e PCE.

iii) Solicita-se também ao diretor de turma o exercício de uma liderança transformacional que se traduza na capacidade de mobilizar vontades, agregar esforços de modo a instigar os outros à ação, ao planeamento, à regulação e à avaliação dos produtos alcançados de modo crítico, construtivo e colegial.



Seleção de formandos:

  • 1.ª prioridade: Docentes da Escola Profissional Agrícola D. Dinis - Paiã;                     ;
  • 2.ª prioridade: Docentes das escolas associadas ao CFAEMBM.

Detalhes da calendarização

                                                                                                                                            

                            novembro: 25(sábado) 09h00 - 13h00 e das 14h00 - 17h00;

                                  janeiro: 20(sábado) 09h00 - 13h00 e das 14h00 - 17h00; 26(sexta feira) 17h00 - 21h00;

                              fevereiro: 03(sábado) 09h00 - 13h00 e das 14h00 - 17h00.                                                                                                                                

Ação 21: 2017/18 - Folha de Cálculo aplicada à prática letiva

Publicado a 25/07/2017, 03:49 por Bruno Henriques   [ atualizado a 26/10/2017, 07:36 por Geral - Centro de Formação MbM ]

Curso de Formação: 25HP, 1 UC                                                         AÇÃO CONCLUÍDA
Registo de Acreditação: 
CCPFC/ACC-91107/17
Formadora: Isabel Vaz
Local: Agrupamento de Escolas Benfica
Grupos de recrutamento: Educadores de Infância, Ensino Básico e Ensino Secundário
Calendário: 
25 de setembro de 2017 a 23 de outubro de 2017 

                                                                       

Descrição

Muitos professores têm dificuldade na utilização da folha de cálculo, pois são utilizadores por necessidade do tratamento de texto

A avaliação é cada vez mais complexa e exigente, tornando-se necessário a utilização de ferramentas expeditas que facilitem a sua execução

Pela solicitação dos próprios professores



Seleção de formandos:

  • 1.ª prioridade: Docentes do Agrupamento de Escolas de Benfica, Colégio Militar e Instituto Pupilos do Exercito;
  • 2.ª prioridade: Docentes das escolas associadas ao CFAEMBM.

Detalhes da calendarização

                                                                                                                                            

                                 setembro:   25(segunda feira) 17h00 - 20h0029(sexta feira) 17h00 - 20h00;

                                 outubro:     02(segunda feira) 17h00 - 20h0009(segunda feira) 17h00 - 20h0013(sexta feira) 17h00 - 20h00; 16(segunda feira) 17h00 - 20h00;

                                                       20(sexta feira) 17h00 - 20h00; 23(segunda feira) 16h00 - 20h00.


                                                                                                                

Ação 15: 2017/18 - Avaliar para diferenciar no ensino do Português e da Matemática

Publicado a 25/07/2017, 03:49 por Bruno Henriques   [ atualizado a 10/10/2017, 03:20 por Inacia Oliveira ]

Oficina de Formação: 25HP+25TA, 2 UC
Registo de Acreditação: 
CCPFC/ACC-91521/17
Formadoras: Cristina Loureiro e Encarnação Silva
Local: Escola Básica 2,3 Delfim Santos
Grupos de recrutamento: 110
Calendário: 
10 de outubro de 2017 a 13 de março de 2018 

                                                                       

Descrição

Os professores e os educadores são confrontados atualmente com maiores e mais complexas exigências de gestão e inovação curricular, maiores diversidades nos públicos com que trabalham, sendo-lhes simultaneamente exigido elevadas metas de sucesso nas avaliações externas em Língua Portuguesa e Matemática. 

Embora atualmente seja possível encontrar um elevado número de tarefas e propostas de trabalho divulgadas, a sua adaptação a uma realidade, a sua experimentação reflexiva, o conhecimento das formas como os alunos as resolveram e experimentaram reveste-se de grande pertinência e utilidade. A investigação tem evidenciado que não basta divulgar bons materiais para a sala de aula, é necessário que eles sejam acompanhados de experiências significativas de utilização e que estas sejam conhecidas e reflectidas pelos professores.

Além disso, um trabalho colaborativo entre docentes dentro dos agrupamentos  conduz a resultados mais eficazes porque permite a identificação de problemas, a experimentação, discussão e reformulação de estratégias, a partilha de materiais, facilitando o trabalho e otimizando recursos e resultados. 

A elaboração desta proposta de oficina de formação resulta da conjugação dos seguintes factores:

Necessidades específicas identificadas pelos professores do 1.º ciclo relativamente ao trabalho articulado entre a Matemática e a Língua Portuguesa.

Necessidades específicas identificadas pelos professores relativamente a estratégias de diferenciação pedagógica.

Necessidade de desenvolver novos instrumentos de avaliação coerentes com as atividades realizadas.



Seleção de formandos:

  • 1.ª prioridade: Docentes dos Agrupamentos de Escolas de Benfica e Vergílio Ferreira;                     ;
  • 2.ª prioridade: Docentes das escolas associadas ao CFAEMBM.

Detalhes da calendarização

                                                                                                                                            

                                          outubro: 10(terça feira) 18h00 - 20h00; 24(terça feira) 18h00 - 20h00;

                                     novembro:  07(terça feira) 18h00 - 20h00; 21(terça feira) 18h00 - 20h00;
                     
                                     dezembro:  05(terça feira) 18h00 - 20h00;

                                           janeiro: 09(terça feira) 18h00 - 20h00; 23(terça feira) 18h00 - 20h0;

                                       fevereiro: 06(terça feira) 18h00 - 20h00; 27(terça feira) 18h00 - 20h00;

                                           março: 13(terça feira) 18h00 - 20h00.            

                                                                                                                         

Ação 14: 2017/18 - Ciclo de Palestras para a Promoção do Sucesso Escolar

Publicado a 25/07/2017, 03:49 por Bruno Henriques   [ atualizado a 18/10/2017, 03:09 ]

Curso de Formação: 15HP, 0.6 UC
Registo de Acreditação: 
CCPFC/ACC-88856/16
Formadoras: Cláudia Candeias, Andreia Trabulo e Sofia Coelho
Local: Agrupamento de Escolas Vergílio Ferreira
Grupos de recrutamento: Educadores de Infância, Ensino Básico e Ensino Secundário
Calendário: 
17 de outubro de 2017 a 22 de novembro de 2017 

                                                                       

Inscrições Encerradas


Descrição

Organizado num Ciclo de Palestras, este curso de formação pretende ser um espaço e tempo formativos transdisciplinar colaborativo e crítico, convidando os participantes a discutir temáticas de extrema importância para a afirmação de uma escola mais acolhedora, combatendo o insucesso e o abandono escolar. Assim, pretende-se promover espaços de reflexão crítica que favoreçam a apropriação / actualização de conhecimentos e o desenvolvimento de competências, onde o aprender e o crescer estão associados a um desenvolvimento sociocognitivo e emocional consistente, por forma a alcançar os níveis de sucesso pretendidos.

Pretendemos debater os seguintes temas:

- Disciplina Positiva: promover atitudes através de estímulos positivos

- Gestão de Conflitos: afirmar uma Escola acolhedora para todos

- Diferenciação Pedagógica / Coadjuvância na sala de aula: promover estratégias específicas com os professores que trabalham no sistema de Coadjuvância.

- Trabalho Colaborativo: promover estratégias para o desenvolvimento e manutenção do trabalho entre docentes.

- Coaching Educacional: promover estratégias específicas e conhecer os diferentes contextos da sua aplicabilidade.

Em contexto de capacitação dos professores e da Escola para melhor compreender e gerir os comportamentos dos alunos, desenvolvem-se sessões práticas de reflexão do quadro de referência teórico, de experimentação, de partilha de conhecimento, bem como de experiências, afirmando os professores como elementos-chave de exclusividade, procurando responder de modo à complexidade das temáticas acima indicadas, e que vivenciam no seu dia-a-dia, contribuindo para o desenvolvimento profissional e pessoal dos participantes, bem como para a melhoria das aprendizagens dos alunos e da Escola no seu todo.



Seleção de formandos:

  • 1.ª prioridade: Docentes do Agrupamento de Escolas Vergílio Ferreira, Escola Profissional Ciências Geográficas e Instituto Pupilos do Exército;                   ;
  • 2.ª prioridade: Docentes das escolas associadas ao CFAEMBM.

Detalhes da calendarização

                           . Palestra 1 - Disciplina Positiva: Dra. Cláudia Candeias - 17 de outubro de 2017 das 17h00 - 20h00;

                           . Palestra 2 - Gestão de Conflitos: Dra. Carolina Trabulo - 26 de outubro de 2017 das 17h00 - 20h00;

                           . Palestra 3 - Coaching Educacional: Dra. Cláudia Candeias - 02 de novembro de 2017 das 17h00 - 20h00;

                           . Palestra 4 - Trabalho Colaborativo: Dra. Cláudia Candeias - 06 de novembro de 2017 das 17h00 - 20h00;

                           . Palestra 5 - Diferenciação Pedagógica/ Coadjuvação na sala de aula: Dra. Sofia Coelho - 22 de novembro de 2017 das 17h00 - 20h00.

                                                                                                                                       


Ação 10: 2017/18 - Dificuldades na Aprendizagem e Boas Práticas de Diferenciação Pedagógica

Publicado a 25/07/2017, 03:48 por Bruno Henriques   [ atualizado a 02/11/2017, 09:55 por Inacia Oliveira ]


Curso de Formação: 15HP, 0.6 UC                                                                           AÇÃO CONCLUÍDA
Registo de Acreditação: 
CCPFC/ACC-92277/17
Formadora: Maria Dulce Gonçalves
Local: Agrupamento de Escolas de Braamcamp Freire
Grupos de recrutamento: 2º e 3º ciclo e Ensino Secundário.
Calendário: 
25 de setembro de 2017 a 30 de outubro de 2017 

                                                                       

Descrição


Seleção de formandos:

  • 1.ª prioridade: Docentes do Agrupamento de Escolas Braamcamp Freire

Detalhes da calendarização

                                                                                                                                            

                                         setembro: 25(segunda feira) 14h30 - 16h30;

                                           outubro:  02(segunda feira) 14h30 - 16h3009(segunda feira) 14h30 - 16h3016(segunda feira) 14h30 - 16h3023(segunda feira) 14h30 - 16h30;

                                                              30(segunda feira) 14h30 - 17h30.                                     

                                                  
                    

Ação 09: 2017/18 - Dificuldades na aquisição e desenvolvimento da leitura e escrita no 1º ciclo

Publicado a 25/07/2017, 03:47 por Bruno Henriques   [ atualizado a 20/11/2017, 02:27 por Inacia Oliveira ]

                                                                                                                                                            AÇÃO CONCLUÍDA

Curso de Formação: 25HP, 1 UC
Registo de Acreditação: CCPFC/ACC-92144/17
Formadora: Maria Dulce Gonçalves
Local: Agrupamento de Escolas Braamcamp Freire
Grupos de recrutamento: 110
Calendário: 
10 de outubro de 2017 a 16 de novembro de 2017 

                                                                       

Descrição

Dados recentes (DGEEC, 2016) sugerem que, em média, 10% dos alunos a frequentar o 2º ano de escolaridade ficam retidos todos os anos. Sendo um valor médio, muitas escolas registam valores de insucesso precoce muito mais elevados. Estas experiências de insucesso precoce marcam, por vezes de forma indelével, todo o percurso da escolaridade obrigatória. Além disso, tendo por referência as Metas Curriculares, dados recentes (e.g.Gonçalves, 2014; 2016) revelam que a maioria dos alunos apresenta um desempenho no domínio da Leitura e da Escrita, muito inferior ao esperado. De acordo com o Modelo RTI, de Resposta à Intervenção, tão vastamente documentado no contexto internacional e recentemente preconizado pela DGE, uma atuação docente mais informada, atualizada, diferenciadora e com base em resultados e dados de investigação em ação, deve ser considerada como um fator determinante (e indispensável) para o sucesso escolar. Em especial nos domínios da Leitura e Escrita, como pilares essenciais de todas as outras subsequentes aprendizagens.



Seleção de formandos:

  • 1.ª prioridade: Docentes do Agrupamento de Escolas Braamcamp Freire;

Detalhes da calendarização

                                                                                                                                            

                                         outubro:     10(terça feira) 16h00 - 18h00; 12(quinta feira) 16h00 - 18h00; 17(terça feira) 16h00 - 18h0019(quinta feira) 16h00 - 18h00;

                                                               24(terça feira) 16h00 - 18h0026(quinta feira) 16h00 - 18h0031(terça feira) 16h00 - 18h00;

                                         novembro: 02(quinta feira) 16h00 - 18h0007(terça feira) 16h00 - 18h00; 09(quinta feira) 16h00 - 18h00

                                                               14(terça feira) 16h00 - 18h0016(quinta feira) 16h00 - 19h00.

Ação 07: 2017/18 - Gerir o currículo na educação pré-escolar: planeamento e avaliação na perspetiva das OCEPE 2016

Publicado a 25/07/2017, 03:47 por Bruno Henriques   [ atualizado a 19/09/2017, 04:30 ]


Oficina de Formação: 25HP+25TA, 2 UC
Registo de Acreditação: 
CCPFC/ACC-91110/17
Formador: Filomena Moura 
Local: Agrupamento de Escolas Vergílio Ferreira
Grupos de recrutamento: 100
Calendário: 
18 de outubro de 2017 a 13 de dezembro de 2017 

                                                                       

Descrição

Num estudo promovido pela DGE sobre a implementação das Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar (OCEPE), realizado pela Universidade do Porto em colaboração com o ISPA - Instituto Universitário (UP/ISPA, 2014), que envolveu um número significativo de educadores/as das redes pública, privada e solidária, mais de 50% dos/as educadores/as de infância inquiridos/as reconheceram como domínios em que tinham necessidade de formação: Avaliação de contextos (58,2%); estratégias de avaliação da aprendizagem das crianças (52,9%); desenvolvimento curricular (50,6%) 

A revisão das OCEPE, homologada em 2016, teve em conta este estudo, e procurou esclarecer estes aspetos num capítulo designado “Intencionalidade Educativa – construir e gerir o currículo”. No processo participado que acompanhou esta revisão, este capítulo foi considerado como fundamental para o desenvolvimento do processo pedagógico, mas também continuaram a ser apontadas, sobretudo na consulta pública e ações de divulgação do documento, necessidades de formação nestes domínios.

Com base neste conjunto de informações propõe-se esta oficina de formação destinada a apoiar os/as educadores/as a implementarem a proposta das OCEPE, apropriando-se de processos de gestão curricular em que a utilização de instrumentos de observação e registo lhes permitam planear e avaliar de forma dinâmica e interativa o contexto e as aprendizagens das crianças, sendo ainda capazes de utilizar a informação recolhida para comunicar com famílias, colegas e docentes do 1º ciclo.



Seleção de formandos:

  • 1.ª prioridade: Docentes do Agrupamento de Escolas Vergílio Ferreira;
  • 2.ª prioridade: Docentes do Agrupamento de Escolas Associadas ao CFAEMBM;

Detalhes da calendarização



                                   outubro: 18(quarta feira) 17h00 - 21h00; 25(quarta feira) 17h00 - 20h00;

                                       novembro: 08(quarta feira) 17h00 - 20h00; 15(quarta feira) 17h00 - 20h0022(quarta feira) 17h00 - 20h00; 29(quarta feira) 17h00 - 20h00;
                                       
                                       dezembro: 06(quarta feira) 17h00 - 20h00; 13(quarta feira) 17h00 - 20h00.

                                                                                                                                            



                                                                                                                                     

1-10 of 11