Ação 24: 2017/2018: Articulação e supervisão pedagógica

Publicado a 11/09/2017, 07:27 por Bruno Henriques   [ atualizado a 11/09/2017, 07:32 ]
Oficina de Formação: 25HP+25TA, 2 UC
Registo de Acreditação: 
CCPFC/ACC-80034/14
Formadora: Rosa Santos
Local: A Determinar
Grupos de recrutamento: Educadores de Infância, Ensino Básico e Ensino Secundário
Calendário: 
10 de janeiro de 2018 a 18 de maio de 2018 

                                                                       

Descrição

A presente ação insere-se numa prioridade de capacitação e de intervenção prioritária no Agrupamento de Escolas José Silvestre Ribeiro, Idanha-a-Nova e decorre
da análise de necessidades de formação efetuada, com base na análise de conteúdo dos relatórios de intervenção prioritária e nos planos de melhoria propostos no
sentido do desenvolvimento profissional docente com impacto na melhoria da aprendizagem dos alunos.

 Partindo do princípio que a organização não se pode alhear dos processos e dos contextos, chamamos aqui as caraterísticas das escolas eficazes (McGilchrist,1997)
e das comunidades aprendentes (Hord,1997) que valorizam a visão e metas partilhadas, a liderança profissional e a organização que aprende como pilares da qualidade
dos professores, inscritas no documento Common European Principles for Teacher Competences and Qualifications (2010) considerando três áreas de competência a
trabalhar: 1) com os outros (com os alunos e com os colegas; 2) com o conhecimento, a tecnologia e a informação (para aceder, analisar, validar, refletir e transmitir o
saber construindo e gerindo ambientes de aprendizagem); 3) com e na comunidade (desenvolvendo parcerias).

Neste contexto, pretende-se que a supervisão pedagógica contribua para a melhoria dos processos e a aprendizagem dos alunos, através de um plano de formação-ação
articulado que se oriente para a análise de práticas, para a compreensão e atuação integrada (Sá-Chaves e Alarcão, 2000) numa interação dialógica e construtiva entre
observador e observado ganhando uma dimensão colaborativa autorreflexiva e auto-formativa (Alarcão e Roldão, 2008) facilitadora do desenvolvimento profissional mútuo
(Vieira, 1993; Alarcão e Tavares, 2003).

O desenvolvimento da ação, na modalidade de oficina de formação, permitirá a investigação ação com base na observação de aulas, monitorização dos processos,
análise e reflexão sobre a prática, reorientação em caso de necessidade de melhoria e sistematização e divulgação de boas práticas.



Seleção de formandos:

  • 1.ª prioridade: Docentes das escolas associadas ao CFAEMBM.



Detalhes da calendarização:


                                 A DETERMINAR
Comments