Ação 26: 2017/2018: Criação de uma Cultura de Colaboração na Sala de Aula: apoiar a mudança a partir da Diferenciação Pedagógica – Coadjuvação e Tutoria.

Publicado a 11/09/2017, 07:43 por Bruno Henriques   [ atualizado a 11/09/2017, 07:59 ]
Curso de Formação: 15HP, 0.6 UC
Registo de Acreditação: 
CCPFC/ACC-92376/17
Formadora: Elvira Figueiredo
Local: A Determinar
Grupos de recrutamento: Ensino Básico e Ensino Secundário
Calendário: 
08 de janeiro de 2018 a 05 de março de 2018 

                                                                       

Descrição

A heterogeneidade que se vive nas escolas e sobretudo na sala de aula é sentida e vivida como um problema e um obstáculo a ultrapassar pelos professores.

Os apelos à mudança requerem deste modo, uma atenção cuidada e refletida acerca do que simboliza esta diversidade e a necessidade de dinâmicas formativas 

adequadas a tal exigência.

Tendo a sala de aula como foco principal, apresenta-se nos conteúdos formativos desta ação dois referenciais teóricos, que sustentam esta temática: A Colaboração como estratégia de desenvolvimento profissional e a Diferenciação Pedagógica, configurada em duas modalidades de apoio educativo; a Coadjuvação e a Tutoria.

Quando falamos em Colaboração, centramo-nos numa conceção onde a concebemos, como um meio eficaz para o desenvolvimento do professor, tendo um forte impacto na qualidade das oportunidades de aprendizagem dos alunos e, assim, indireta ou diretamente, na sua motivação e desenvolvimento. (Day, 2001).

E se a escola se apresenta como um espaço de partilha e de experiências entre os professores, a sala de aula poderá igualmente representar um espaço privilegiado, onde os professores poderão aprender uns com os outros, partilhando e desenvolvendo em conjunto as suas competências de natureza pedagógica. (Hargreaves, 1998).

O desenvolvimento da colaboração é uma das vias de desenvolvimento das escolas e a relação mútua que se estabelece entre o desenvolvimento da escola e os professores, coloca-os a todos como intervenientes na posição de aprendentes durante este processo. (Marcelo Garcia, 1999).

Nesta dinâmica colaborativa, o professor é visto essencialmente como um agente de mudança, com capacidade de produzir mudanças em si, nos alunos, e nas organizações escolares. (Zeichner, 1991).

O segundo eixo temático desta proposta formativa, define-se e é estruturado em torno da problemática da Diferenciação Pedagógica, optando-se pelo desenvolvimento de duas modalidades de apoio que muito privilegiam esta diferenciação; a Coadjuvação e a Tutoria.

A Coadjuvação é entendida neste percurso formativo, como uma prática pedagógica onde os professores deverão trabalhar de uma forma colaborativa. Coadjuvar, pressupõe precisamente uma relação profissional baseada na ajuda e na assessoria, concorrendo para um fim comum. Com a Tutoria, pretende-se analisar as suas diferentes modalidades e desenvolver aquelas, que maior eficácia tem apresentado, nas dinâmicas pedagógicas específicas da sala de aula, como por exemplo, a tutoria Interpares.

Propõe-se uma intervenção formativa que ajude os professores a refletir sobra as suas práticas pedagógicas em sala de aula, interiorizando a colaboração como uma estratégia de desenvolvimento profissional.

Seleção de formandos:                

  • 1.ª prioridade: Docentes das escolas associadas ao CFAEMBM.

Detalhes da calendarização

                                                                                                                                            



                                                                                                                                     A Determinar

Comments